Chame no Whatsapp

Cada vez mais, mais gente circula pelas dependências de indústrias, prédios comerciais, prédios mistos e condomínios residenciais. Com o advento do sistema delivery, então, quem ainda não havia embarcado na praticidade das tele entregas não teve outra alternativa na pandemia de Covid-19. Por isso, indústrias, grandes e pequenas empresas, instalações comerciais em geral, prédios de salas e residências, independentemente de suas áreas de atuação ou localização, precisam ter a segurança de que só pessoas autorizadas terão acesso às suas dependências – colaboradores, visitantes, clientes, moradores, visitantes, fornecedores e entregadores, por exemplo.  O controle de acesso é a solução ideal para donos e gestores que buscam uma forma autônoma para elevar a segurança de sua empresa a um novo patamar.

Para tanto, a implantação de um sistema de controle de acesso eficaz torna-se essencial. O controle de acesso gerencia o fluxo de entrada e saída de pessoas e veículos, evitando visitas indesejadas. Fora a garantia da segurança patrimonial da empresas e pessoal de todos os que ali circulam, o controle de acesso padroniza a forma de entrar em determinado lugar. Assim, as pessoas que podem circular no espaço precisam seguir o mesmo padrão. Cria-se uma regra comum de acesso e a circulação desautorizada fica inviabilizada.

A tecnologia conta muito quando o assunto é controle de acesso, mas sua eficácia depende de algumas variáveis que precisam ser observadas na hora de sua implementação. Para o sucesso de um sistema de controle de acesso, é preciso considerar:

– As condições estruturais locais;
– As características da região onde está inserido o espaço que será controlado;
– O volume de pessoas que lá circularão;
– A política de segurança adotada no local; se ela não existe, chegou a hora de propô-la.

São essas variáveis que vão atuar no tipo de controle de acesso que será adotado. Essencialmente, todos os controles de acesso seguem uma sequência básica de ações:

– quem quer acessar o local se aproxima e informa seu destino ou a pessoa com quem deseja falar;
– a estrutura do sistema impede fisicamente o acesso;
– o sistema (com ou sem presença de um porteiro) identifica o interessado;
– o sistema confere se quem quer entrar está autorizado a fazê-lo;
– o sistema libera ou não o acesso.

Avaliadas todas essas variáveis, chega a hora de se considerar qual a tecnologia mais adequada às necessidades da empresa. Controles de acesso, portões automáticos, segurança eletrônica, sistema de áudio e vídeo, câmeras de videomonitoramento: a GTR está qualificada para atender desde pequenos projetos para escritórios à grandes projetos e municípios. Confira aqui no site tudo o que a GTR pode fazer pela segurança de seu patrimônio.